O tempo está no centro das preocupações do indivíduo contemporâneo. Vivemos na sociedade da pressa e da penúria de tempo, do produtivismo, do timing preciso e do multitasking. Nesse contexto, a lentidão começa a ser cada vez mais desejada e valorizada socialmente. Assim, formou-se nas últimas décadas um quadro sociocultural que opõe duas éticas, que são também duas “est-éticas”, a da aceleração e a da desaceleração, e duas formas de encarara o consumo. Mas será que na vida real cabe uma escolha exclusivista entre elas?

Neste ensaio, resultante de um estudo desenvolvido pelo escritório de tendências Observatório de Sinais, seu diretor, o sociólogo Dario Caldas, apresenta o perfil do consumidor “crono-sensível” e mostra como as experiências temporais contemporâneas estão mesclando velocidades e ritmos, acelerações e desacelerações, levando a uma verdadeira reinvenção do tempo.

O impacto dessa nova sensibilidade temporal cria oportunidades de mercado e já se reflete em algumas estratégias de produtos, serviços e marcas, apresentadas e discutidas pelo autor.

 

COMPRAR

Conhece alguém que gostaria da leitura?

 

Dario Caldas

Dario Caldas é bacharel em Ciências Sociais e mestre em Comunicações. Fundou e idealizou a metodologia do Observatório de Sinais, escritório de consultoria em inteligência estratégica e estudos de mercado, referência na área de pesquisa e análise de tendências de comportamento, sociedade e consumo, em atividade desde 2002. Atua, também, como palestrante e professor, carreira na qual acumula uma experiência de trinta anos, especialmente em cursos de pós-graduação e educação corporativa. Tem outros quatro livros publicados: Homens (organizador, 1997), Universo da Moda (1999), Observatório de Sinais: Teoria e prática da pesquisa de tendências (2004) e A Reinvenção do Tempo: Aceleração e desaceleração na sociedade e no consumo (2014).