PERSPECTIVAS 2020: PISTAS E INFLUÊNCIAS

PERSPECTIVAS 2020: PISTAS E INFLUÊNCIAS


Por Dario Caldas

Minha proposta, neste artigo, é apontar algumas pistas e influências que deverão impactar as tendências e as relações de consumo, nos próximos meses.

A agenda global é cada vez mais repleta de eventos que merecem atenção e já começa nos primeiros dias de janeiro, com as inovações apresentadas na CES, em Las Vegas. Mas quero destacar, no segundo semestre, os Jogos Olímpicos de Tóquio e a Expo Dubai 2020, por sua alta visibilidade e pela confirmação da hegemonia asiática. Em comum, ambos devem evidenciar, também, que tecnologia e sustentabilidade se tornaram campos absolutamente indissociáveis e transversais.

A mostra internacional no emirado árabe vai girar em torno de três eixos temáticos - oportunidade, mobilidade e sustentabilidade –, dando espaço para que os países reforcem seu branding em pavilhões espetaculares, em sintonia com a arquitetura da cidade anfitriã. O pavilhão do Brasil (foto) terá como tema central a água – de longe, o ativo mais valioso do planeta.

A Olimpíada japonesa, por sua vez, foi projetada para transmitir uma visão mais smart e enxuta, pautada pelo reaproveitamento de instalações já existentes e pela economia de dinheiro e energia. A opção por reformar o Estádio Nacional, construído para os jogos de 1964, em vez de construir um novo, é o melhor exemplo dessa abordagem, em total consonância com o espírito do tempo.

 

Sinais_ODES_Perspctivas 2020_KengoKuma_Tokyo2020

Projeto do arquiteto Kengo Kuma para modernizar o Estádio Nacional para os jogos olímpicos de Tóqui. Foto: divulgação.

 

De fato, reaproveitar mais e desperdiçar menos é um dos aspectos da sustentabilidade que mais ganham força junto aos consumidores. Trata-se de um princípio facilmente compreensível, ao alcance de todos e que traduz muito concretamente a ideia de consumo consciente. Fenômenos relativamente novos, como o surgimento de um mercado de maquiagem de segunda mão, na Ásia, ou a força que o upcycling vem ganhando na moda (“o futuro da moda será trashion”, afirmam os entusiastas), vão render muito pano para manga.

O futuro da moda será trashion, afirmam os entusiastas.

Por falar em motivações de consumo, os indivíduos continuarão desejando o simples, o prático, o próximo e o conveniente, e cada vez com mais força, como evidencia o balanço das buscas globais realizadas no Google, ao longo do ano passado, e publicado pela empresa.

O anseio por praticidade e conveniência é tão premente que passa a pressionar, também, o território da sustentabilidade, complexo por definição. À medida que o consumo consciente se torna mainstream, surge a necessidade de tornar as práticas, os cálculos e os rituais sustentáveis mais acessíveis e descomplicados, para que possam ser adotados pela maioria. Eis aí um grande desafio.

No universo das marcas, será interessante observar como elas evoluem em direção a papeis mais diversificados na vida dos consumidores. Temos visto as marcas se tornarem líderes civis e advogadas de causas. Tudo indica, agora, que elas também vão querer desempenhar o papel de terapeutas, preocupadas que estão com a saúde mental dos indivíduos, e não sem razão, nesta era de ansiedade.

Outra orientação que vai se acentuar em 2020 é a oferta de eventos IRL (in real life) como estratégia das marcas para engajar os consumidores. Se não é algo exatamente novo (tratamos do tema neste post, por exemplo), é no conteúdo e no formato que esses eventos se diferenciam, com uma programação cultural em torno de tendências, estilos de vida e experiências. Nesse contexto, será muito útil a figura do curador de tendências, para ajudar as marcas a dar match entre seus próprios valores, os interesses dos consumidores e as direções do Zeitgeist.

Por fim, mas longe de esgotar o tema, será preciso levar em conta, de um lado, os elementos do cenário anterior que permanecem ativos - como a polarização social, que não só continua como se acentua, neste ano de eleições no Brasil e nos EUA – e de outro lado, o imprevisível, que nunca deixa de dar um oi (caso, aliás, do conflito internacional que se desenhou nesses primeiros dias do ano). Diante das inevitáveis incertezas, flexibilidade será a palavra-chave para os necessários ajustes de rota.

Desejo a todos um excelente 2020!

 

Atualização, inspiração e informação estratégica: Leve uma palestra do Dario Caldas/ODES para a sua empresa ou evento. Saiba mais!


download