TOP 10: O “fim das tendências” – será?

TOP 10: O “fim das tendências” – será?


Os mais ligados em marketing e gestão das marcas devem ter ouvido ecos, aqui e ali, de certa discussão sobre um suposto “fim das tendências”. Na verdade, querem fazer crer que as tendências não estão mais “na moda”, porque o Zeitgeist atual demandaria abordagens a partir de “novas” ideias como “essência” e “paradigmas”, menos focados em mudanças (às quais o conceito de tendência é naturalmente associado). Será mesmo? Pensando nisso – ou discordando disso -, fizemos um TOP 10 de motivos que nos levam a duvidar – não das tendências, é claro, mas daqueles que duvidam da força dos fenômenos miméticos associados a várias formas de difusão, na sociedade e no mercado:

1 – Cupcakes fever: Vimos até medições sobre a amplitude de influência dos famosos bolinhos... e apostas sobre qual vai ser o próximo modismo em alimentação.

2 – Novos sertanejos. A onda já é internacional e confirma o descasamento definitivo entre looks e mindstyles.

3 – A voga dos reality shows: Já faz dez anos e os sinais não são de arrefecimento, mas sim de mudanças na preferência do público por determinados tipos.

4 – Famílias Bicicult: Mais do que uma tendência, a nova mania equivale ao running dos anos 80, com famílias inteiras pedalando nas ciclovias urbanas.

5 – “É a demografia, estúpido!”: Só se falou sobre tendências demográficas para explicar a reeleição de Obama nos EUA.

6 – Orkut desmorona, Facebook suspira, sai Twitter, entram Instagram, Pinterest ou Tumblr...

7 – Se “abordagens sociológicas” fossem o oposto de “abordagens de tendências”, que monstrengo seria a nascente e bem conceituada sociologia das tendências?

8 – A indústria da mídia acaba de fazer um super congresso em SP para discutir... as tendências para o setor, é óbvio.

9 – “A moda morreu”, disseram por aí. “Vida longa à moda, nem que seja a próxima” é a resposta que mais tem se ouvido...

10 – Não está convencido? Então, lá vai: Gangnam Style, mais de 600 milhões de views em um punhado de semanas.

Total: Fim das tendências ou fim do repertório de quem não consegue entender a sua tipologia e nova estrutura de funcionamento? Caminho das pedras.


download

COMMENTS

  1. Luiza De Carli

    novembro 22

    Achei muito precisa a afirmação de que tendências são "fenômenos miméticos associados a várias formas de difusão". Tenho dúvidas se uma pessoa que não estude o assunto, ao ouvir a palavra 'tendência', tem uma imagem tão clara como essa em mente. Tenho a impressão de que 'tendências' são entendidas, no senso-comum, como algo meio mágico, algo que brota do nada, hipnotiza e depois vai embora.
    Partindo desse esclarecimento, eu arriscaria dizer, então, que as afirmações sobre o fim das tendências talvez estejam procurando, na verdade, questionar a legitimidade da(s) fonte(s) de difusão e os interesses que delas se servem.
    Talvez, pela ausência de consenso sobre o que é uma tendência (a diferença considerável entre o entendimento senso-comum e o entendimento científico sobre o que é o fenômeno), os que criticam e anunciam o seu fim estejam, na verdade, sendo imprecisos na crítica, mas isso não significa que seu posicionamento não tenha validade, precisaria ser melhor colocado, apenas.
    Faz sentido isso? Abs!

LEAVE A REPLY

O seu endereço de e-mail não será publicado.